fale conosco pelo
WhatsApp
WEB

Primeira Advogada Especializada na aplicação do Direito na Construção Civil

Mais de 250 escritórios de Arquitetura e Designer de Interiores desenvolvidos.

OAB/SP 428.659
Serviços para seu escritório

Arquitetos e Designers

  • Estruturação de Escritório e Contrato de Prestação de Serviços
  • Elaboração de Documentação
  • Suporte Jurídico
  • Consultoria Jurídica
  • Resoluções Extrajudiciais
  • Processos Judiciais
Quero um atendimento
Serviços para sua residência

Proprietários

  • Acompanhamento de Entrega de Obra
  • Pesquisa de Idoneidade de Empresas
  • Consultoria Jurídica
  • Requerimento de Rescisão Contratual
  • Análise de Documentação
  • Resoluções Extrajudiciais
  • Processos Judiciais
Quero um atendimento

Feedbacks

Artigos

Como organizar um escritório de arquitetura?
Organizar um escritório de arquitetura de forma eficiente envolve várias etapas e considerações. Aqui estão algumas dicas detalhadas para ajudar na organização: 1. Planejamento Inicial…
Como montar um escritório de arquitetura?
O grande pensamento de quem se forma em arquitetura é, sem dúvidas, abrir seu próprio negócio e começar a atender clientes, projetar sonhos e ter…
Qual a diferença de ser autônomo e ter um CNPJ como Arquiteto?
Muitos arquitetos possuem receio ao tomar a decisão de criar um CNPJ: “será que vale a pena?” Para formalização de um negócio, seja ele qual…
Entenda os direitos autorais na Arquitetura: Protegendo sua criatividade e propriedade intelectual
Os direitos autorais desempenham um papel vital na proteção da criatividade e inovação no desenvolvimento dos projetos. Compreender como esses direitos funcionam é essencial para…
Rescisão Contratual entre arquiteto e cliente: Como evitar um processo judicial?
A rescisão contratual entre um arquiteto e seu cliente pode ser uma situação desafiadora, mas é possível evitar um processo judicial longo. Neste artigo, exploraremos…
Arquiteto: Como proteger seu escritório e projetos
Como profissionais da arquitetura, os profissionais enfrentam uma série de desafios legais e regulatórios em sua prática diária. Desde questões contratuais até conformidade com regulamentos…
Abri um CNPJ de arquitetura, e agora?
Você que é arquiteto e gostaria de abrir um CNPJ precisa estar ciente do que está por vir com essa decisão. Para formalização de um…
Como incluir os impostos na proposta comercial de arquitetura e designer de interiores?
Para a maioria dos arquitetos e designers de interiores é uma grande dificuldade a inclusão de impostos em seu valor de proposta, com o objetivo…

FAQ - Perguntas Frequentes

Sim, é necessário ter um documento específico para cada prestação de serviço que você oferece em seu escritório.
Por exemplo, o contrato de prestação de serviços é diferente de uma proposta comercial, por isso é necessário que seja desenvolvido um documento personalizado para cada etapa e de acordo com a sua metodologia, modelos prontos geralmente não funcionam.
Ao utilizar uma proposta como um contrato ou vice e versa, você pode estar colocando o seu escritório em um grande risco e permitindo a possibilidade de significativas perdas financeiras.
Sem contar que, a apresentação de um documento adequado à cada etapa representa o seu profissionalismo diante dos seus clientes.
A grande diferença destas contratações está no custo X beneficio para o seu escritório. Quando é realizada uma contratação pelo regime celetista (CLT) temos que acrescentar ao salário do colaborador os impostos, FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), férias, 13° salário e entre outros benefícios que a Lei determina.
Já na contratação através da Pessoa Jurídica (PJ), temos o que se entende por uma empresa prestando serviço à outra empresa portanto, não falamos sobre os benefícios, a relação se dá através do contrato de prestação de serviços, não havendo qualquer vínculo trabalhista entre as partes.
O contrato de arquitetura diz respeito apenas as responsabilidades e obrigações no tocante ao desenvolvimento de projeto arquitetônico e/ou de interiores. Já no contrato de engenharia, este deve dizer a respeito das responsabilidades e obrigações decorrentes da execução de obra.
Um erro muito comum é arquitetos fazerem contratos de subempreitada e assumirem a responsabilidade da execução da obra através da emissão da Responsabilidade Técnica da execução. Se fizer isso, estará assumindo toda a responsabilidade da obra e terá o dever de assumir todos os danos e prejuízos, se houverem.
Existe e muita!! Isto porque eles possuem pesos jurídicos diferentes.
A proposta é o documento que antecede o contrato, nela deve constar apenas informações sobre os serviços que serão prestados, forma de pagamento, campo para assinatura do aceite e multa por desistência após a assinatura e entre outros.
Já o contrato, é um documento mais extenso onde consta todas as obrigações e responsabilidades do profissional e também do cliente, além de obter informações a respeito de regras, condições, limitações e até mesmo sobre a necessidade da aquisição pelo cliente de itens além dos seus serviços.
Primeiramente é sempre recomendável que haja um alinhamento de expectativas entre você e o seu cliente após a contratação efetiva, assim será possível explicar como os serviços acontecerão, esclarecendo todas as dúvidas e realizando novos acordos, se necessário.
Mas, tão importante quanto, é fundamental que esta condição esteja prevista no seu contrato determinando, inclusive, como funcionam os créditos autorais quando da divulgação do projeto e das fotos profissionais realizadas.
OAB/SP 428.659

Primeira Advogada Especializada na aplicação
do Direito na Construção Civil

+ 55 11 998353215
Atendimento das 9h às 18h

advogada@beatrizalvarenga.com.br

Entre em contato

Desenvolvido por Alexandre Custódio